VERGONHA! JUIZ DETERMINA “ESTUPRO CULPOSO” EM CASO MARIANA FERRER


Juiz do caso Mariana Ferrer determina que não há como provar que Mariana Ferrer não consentiu com estupro que segundo o Exmo Juiz, trata-se de “Estupro Culposo” e absolve o réu


De acordo com imagens obtidas pelo site Intercept Brasil sobre audiência do caso ‘Mariana Ferrer’ gerou polêmica nesta semana, pela forma como a influencer foi tratada em audiência.

Mariana Ferrer, 23 anos, foi vítima de estupro em casa noturna em 2018, pelo empresário paulista André de Camargo Aranha que primeiramente negou que tivesse tido qualquer contato com Mariana em depoimento à Polícia Civil e após a apresentação de provas contra ele mudou sua versão.

Segundo o promotor responsável pelo caso, não havia como o empresário saber, durante o ato sexual, que Mari não estava em condições de consentir a relação, não existindo assim “intenção” de estuprar, o que é um grandíssimo absurdo, pois há provas suficientes demonstrando as ações de André no caso.

O juiz do caso absolveu o réu, aceitando a alegação do promotor, sentenciado o caso como “estupro culposo”, que não está previsto em lei.

O advogado Cláudio Gastão da Rosa Filho, responsável pela defesa do empresário, mostrou várias fotos de Mariana durante a audiência e definiu as imagens como “ginecológicas”, satirizando e debochando de Mariana durante a audiência. Em momento algum foi questionado por membros do Tribunal de Justiça catarinense sobre a relação das fotos com o caso, mesmo Mari tendo pedido respeito, ter advertido o advogado que claramente estava a assediando e ter chorado pedindo ao juiz que fizesse alguma intervenção, nada foi feito.

Gastão atacou Mariana dizendo, “Só aparece essa sua carinha chorando. Só falta uma auréola na cabeça. Não adianta vir com esse teu choro dissimulado, falso, e essa lágrima de crocodilo” e complementou “jamais teria uma filha do nível”.

Mariana claramente desestruturada pelas falas agressivas do advogado e pela inércia do tribunal tentou se defender falando: “Eu gostaria de respeito, doutor. Excelentíssimo, eu estou implorando por respeito no mínimo. Nem os acusados, nem os assassinos são tratados da forma que eu estou sendo tratada gente, pelo amor de Deus. Eu sou uma pessoa ilibada. Nunca cometi crime contra ninguém.”

A Ordem dos Advogados de Santa Catarina e o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos solicitaram esclarecimentos ao advogado e ao TJ de Santa Catarina sobre a sua conduta durante o interrogatório.

Após a divulgação do vídeo o caso ganhou grande repercussão nas redes sociais e na mídia, causando revolta e indignação pelo tratamento dado a Mariana Ferrer e pela decisão proferida pelo juiz.

Vale salientar que Mariana era virgem a época, estava trabalhando no local, foi oferecido bebida a ela pelo empresário que pode ter colocado alguma substância na bebida (Boa Noite Cinderela), as imagens cedidas pela casa, prova colhida pela delegada com a saliva do réu, o sêmen encontrado na roupa da vítima e os depoimentos das testemunhas.

Categorias:ATUALIDADES, NA MIDIA

Marcado como:

Deixe sua resposta aqui