TIRADENTES, O MÁRTIR DA INCONFIDÊNCIA MINEIRA

Comemorado no dia 21 de abril, feriado nacional homenageia Joaquim José da Silva Xavier, líder da Inconfidência Mineira

A história de Joaquim José da Silva Xavier , o famoso Tiradentes, está muito relacionada a Inconfidência Mineira. Ele nasceu em 12 de novembro de 1746 na Fazenda de Pombal, próximo a Vila de Santa Rita do Rio Abaixo, hoje município de Ritápolis, e entre as vilas de São João del-Rei e São José (atual Tiradentes). Era militar e dentista, por isso recebeu esse ilustre apelido.

Tiradentes foi o líder da Inconfidência Mineira, movimento que marcou a revolta contra o domínio Português, que cobrava altas taxas e impostos. No período do Ciclo do Ouro, todo ouro encontrado era taxado com o um imposto que representava 20% do valor. As pessoas que portavam ouro ilegal ou não taxado eram punidas pela Coroa Portuguesa.

E diante das circunstâncias Tiradentes e outros inconformados e membros da elite como Cláudio Manuel da Costa e Tomás Antônio Gonzaga lutaram pela libertação colonial do Brasil. A Inconfidência Mineira foi um marco da resistência no estado. E por isso a bandeira definida por estes inconfidentes passou a ser a bandeira oficial de Minas Gerais, composta por um triângulo vermelho em um fundo branco, com a inscrição em latim: Libertas Quae Sera Tamen (Liberdade ainda que tardia).

Prisão de Tiradentes – Paris, França (Estudo), Museu Antônio Parreiras (MAP) / Public domain

Por traição à Coroa, Tiradentes foi condenado a forca e foi executado em 21 de abril, de 1792, em praça pública no Rio de Janeiro. Inclusive, sua cabeça ficou exposta em Vila Rica, atual Ouro Preto. Conta-se que na mesma noite foi roubada e nunca descobriram o seu paradeiro. A data ficou marcada na história do país, e em sua memória é considerado feriado nacional.

CIDADE TIRADENTES

Fundada em 1702, a cidade histórica de Tiradentes teve dias de intensa exploração ao longo do século XVIII. Hoje, mais de três séculos depois, tombada como patrimônio histórico, o charme colonial continua conservado, sendo um dos centros de arte barroca mais bem preservados do Brasil.

Neste ano, as famosas festividades da cidade em homenagem a Tiradentes foram canceladas por conta das medidas de isolamento social, em decorrência da pandemia do coronavírus. No entanto, conforme destaca reportagem do Correio de Minas, alguns eventos serão mantidos nesta terça-feira (21/04), por meio de lives. Pensando nisso, destacamos cinco atrativos segundo o site o ViajaNet, para conhecer virtualmente um pouco mais da cidade:

Centro Histórico

Matriz de Santo Antônio

O Centro Histórico de Tiradentes permite que o turista mergulhe no período barroco. Bem preservadas, suas construções coloniais podem ser apreciadas ao som das charretes que, até hoje, percorrem as suas antigas ruas de pedra. Ali há um grande número de lojas de arte, artesanato e móveis em madeira, além de cachaças artesanais e doces em compotas caseiras. Nos restaurantes, o visitante pode se deleitar com a típica culinária local.

É no Centro Histórico de Tiradentes que está localizado o Largo das Forras, local onde os escravos recebiam a sua carta de alforria. Nele, há um busto de Tiradentes e a sede da prefeitura do município, estabelecida em um dos mais antigos casarões locais. Lá também está o Chafariz de São José, formado por três fontes que, no Século XVIII, eram fonte água potável para a população.

Igrejas

Impossível visitar Tiradentes e não conhecer as igrejas que ajudaram a cidade a obter o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, conferido pela UNESCO em 1980. A principal é a Igreja Matriz de Santo Antonio (foto). Construída entre 1710 e 1732, guarda esculturas de Aleijadinho, além de um altar de talha dourada, seu lustre de prata, seu teto feito de madeira e ouro, e um antigo órgão de tubos português.

Outra igreja a ser visitada é a de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, datada do século XVIII, que exibe arquitetura peculiar e ricos adornos por toda a parte, uma estátua de São Benedito. As duas igrejas apresentam arquitetura e decoração no estilo barroco e o feriado da Páscoa deixa a visita ainda mais especial.

Museus

Tratando-se de uma cidade histórica, não poderiam faltar museus em Tiradentes. Um é o Museu de Sant’Ana (foto), localizado em um casarão que antigamente abrigava a cadeia local. O acervo do museu possui quase 300 belas imagens de Santa Ana, produzidas em todas as regiões do país, com os mais diversos estilos e materiais.

Também merece ser visitado o Museu Padre Toledo, localizado em um casarão que pertencia ao Padre Carlos Correia Toledo e Melo, líder dos inconfidentes na região. Lá, o forro da maioria de suas salas possui pinturas, sendo que a mais impressionante delas é a chamada sala dos espelhos. Nela, o que chama atenção é o piso, composto por cerca de 20 grandes espelhos que refletem as pinturas existentes em seu interior.

Passeios

Tiradentes não se resume a igrejas e museus, oferece outros atrativos ao visitante. Um deles é o passeio de Maria Fumaça até São João del Rei, que permite ao turista, além de visitar a vizinha histórica de Tiradentes, apreciar o trajeto à margem do Rio das Mortes e com vista para a Serra de São José.

Outra alternativa interessante – e gratuita – é a Trilha do Bosque Mãe-d’Água, que acompanha o aqueduto de pedra que alimenta o Chafariz de São José. Além de ser de fácil acesso, a trilha proporciona um contato com a natureza e a fauna local, sendo frequente a aparição de tucanos e de outros animais do bosque. Uma outra opção é fazer o passeio para a Serra de São José (foto), que pode ser realizado por diversas trilhas cercadas pela natureza. Seus percursos são mais longos, de até cinco horas, sendo recomendável a contratação de agência de turismo. Neste passeio, não faltam mirantes com vistas incríveis, cachoeiras e piscinas naturais onde é possível se refrescar.

Fontes: Divulgação Turismo de Minas, Viajanet | Fotos: Wikimedia

Deixe sua resposta aqui