RAPPER PEDRO QUALY GERA REVOLTA AO CHAMAR KANT DE “MY NIGGA”

Usado por brancos americanos como insulto racial, termo foi usado por Qualy para se referir ao rapper Kant durante Live do grupo HaiKaiss

Artistas de diversos estilos musicais, encontraram nas lives o caminho perfeito para continuarem  interagindo com seus fãs em tempos de de confinamento social, devido a pandemia de Covid-19.  Durante live com o seu grupo HaiKaiss, o rapper Pedro Qualy  foi duramente  criticado nas redes sociais ao chamar o rapper Kant, recém contratado do Damassaclan (coletivo e selo musical)  de “My Nigga“, gerando revolta na comunidade do Rap Nacional. Entenda, o por quê:

Comumente usado nos filmes de gangues e discos de rap norte-americano, o termo “Nigga” está para além de uma gíria de saudação usada entre afro-americanos, marcando o período histórico de dor  e sofrimento causado pela escravidão do povo de origem africana. Derivado do latim niger, que significa negro, o termo nigger em inglês surgiu no século XVII, sendo usado de forma pejorativa, principalmente, nos Estados Unidos do séc. XX, expressando não só o ódio racial contra os negros mas, também, como forma de inferiorização de outras minorias étnicas.

Nos anos 90, com o advento do Gangsta Rap a palavra Nigga foi popularizada como um vocativo causando, assim uma reapropriação, na qual um termo antes usado de forma pejorativa para estigmatizar um determinado grupo é absorvido pelo mesmo como forma de identificação e conexão sociocultural. Desde então, ainda é comum ver rappers e membro de gangues dos Estados Unidos, chamando uns aos outros  de”My Nigga”, dentre outras variações do termo: niggahniggur, niggar.

O grupo NWA, cuja a sigla significa Negros com Atitude, considerado um dos grupos de Rap mais  polêmico de todos os tempos, foi um dos primeiros a popularizarem a palavra Nigga . No entanto, mesmo o Hip Hop sendo um movimento de diversidade étnica e musical , é proibido um não nigga, seja ele branco ou de outra etnia, chamar um negro de Nigga. Logo, se você não é negro jamais use a palavra!

E justamente, por compreender todo o contexto histórico e racista que gira em torna da palavra, o rapper  Pedro Qually causou  grande revolta entre a comunidade negra do rap BR ao chamar Kant de My Nigga, pois não faz sentido dois brancos se cumprimentarem como “Nigga”.

Em outro caso, alvo de críticas na redes sociais também por conta de uma Live,  foi o do rapper Predella do Costa Gold, grupo que também pertence ao selo Damassaclan. Na ocasião, Predella mandou durante um freestyle uma rima na qual dizia ser um branco que veio da senzala. O rapper se retratou em suas redes sociais, declarando que não teve intenção de ofender ninguém e que foi infeliz ao elaborar a rima, pois abomina qualquer ato racista.

Mesmo com a reapropriação do palavra Nigga  pelos grupos de Rap, existem alguns movimentos negros norte-americano que seguem na lutam pela extinção da palavra no vocabulário afro-americano.

Fotos: divulgação

Deixe sua resposta aqui