PAGAN METAL: BANDA ABISMO

Em entrevista para o Sala Secreta, os músicos Samuel Araújo e Ana Lemuria da Horda Abismo, contam suas trajetória e experiências com o Pagan Metal

Subgênero do heavy metal, o Pagan Metal é uma fusão do Folk Metal e Black Metal, bem conceitual que mistura melodias rusticas, instrumentos não usuais e linguagens arcaicas, fundindo ao metal extremo rituais e tradições do norte da Europa.

As Hordas de Pagan Metal, como são chamadas as bandas, são bem diferentes umas das outras, e a forma como as composições são feitas imprime a identidade de cada uma delas.

Os estilos vocais e o idioma reforçam essas diferenças entre as bandas, já que alguns vocalistas entoam cantos melódicos e, até mesmo bramidos inumanos, tanto nos idiomas do seu país de origem ou em inglês, por exemplo. Associados aos Vikings Metal, o Pagan Metal também conta diversas bandas e adeptos do estilo musical em diversos países nórdicos da Europa, dentre eles: Suécia, Dinamarca, Noruega, Finlândia, Alemanha e Países Baixos. Têm também uma certa relação e semelhança com o estilo Celtic Metal e algumas tradições e rituais folclóricos do norte europeu.

Há mais de 18 anos na estrada, a Horda Abismo criada pelo músico Samuel Araújo ( flauta e vocal) segue sua natureza dedicada ao Pagan Metal, evocando tradições ocultas por meio de suas composições e sons primitivos entoados por Ana Lemuria ( baixo e backing vocal), Marta Blasfhemer (bateria) e Felipe Mollo (guitarra), Samuel Araújo ( flauta e vocal) e Ana Lemuria ( baixo e backing.

Confira, a seguir, a íntegra da entrevista com Samuel e Ana Lemuria:

Fonte: Divulgação (Samuel – vocalista)

Sala Secreta – Sabemos que o “Pagan Metal” é um sub-gênero do Heavy Metal. No entanto, cada banda têm suas peculiaridades. Como vocês definem a Horda “Abismo”.

Samuel Araujo – Abismo:  Somos uma horda pagã, que venera os deuses e as forças da natureza, evocando os ritos sobre os tambores da morte, celebrando a lua e a noite. Para mim, Abismo são as profundezas do desconhecido, banhada pela a escuridão, onde reinam os místicos e bruxos. Na verdade, todos nós temos um Abismo, já que nenhum ser humano é santo e todos nós ostentamos a luxúria.

Ana Lemuria – Abismo: Falando sobre o Abismo, nós nos identificamos com os seres elementares da natureza, com o pan, as amazonas aqui da nossa terra. Acreditamos que existe uma força oculta por trás disto, uma coisa bem do Abismo mesmo. Além disso, o Paganismo é todo baseado nessa ideia de veneração da natureza.

SS – Quando a banda foi criada. A formação foi sempre a mesma?

Criei a banda em 2002, fiquei um tempo somente ensaiando em um home estúdio que eu tinha em casa. Tempo depois, comecei a tocar com os músicos Kito e Del. Em 2014, o Felipe Mollo entrou para o Abismo sendo a carruagem que guia a horda, tempo depois nos juntamos  Ana Lemuria e a Marta Blasphemer.  É uma honra tocar com eles e, desde então marchamos em ritos obscuros, guiando a Horda ABISMO.

SS – Quem compõe as letras?

SA – Abismo:  Costumamos compor em trio. Mas, algumas vezes assumo esse papel, como por exemplo com a música “Batalha Final” , dentre outras composições em que divido autoria com o Felipe e a Ana.

SS – É muito interessante a banda ser formada por duas mulheres e dois homens. Essa representatividade é muito importante, já que o machismo e sexismo impera.

SA – Abismo: Sim, tem muita gente que fala que esse equilíbrio nos diferencia. Na horda Abismo, somos todos guerreiros.

SS – Quais hordas nacionais e internacionais influenciaram o som de vocês?

SA – Abismo: Com muita honra, cito a horda Mausoleum, umas das primeiras bandas underground da cena nacional, há também Ayperos, Uraeus e Defacer. Já as internacionais, Bathory, FalkenBack, Storm, dentre outras.

SS – Quais das vertentes do metal estão mais presente no som da banda?

SA – Abismo: Pagan Black Metal e Folk Metal.

AL – Abismo: O Pagan Metal é um lado obscuro da natureza que veneramos. Quando você olha a natureza, ela é do jeito que é, uma planta que não se move, por exemplo. Mas, enxergamos por outro viés, venerando os seres da natureza, o lado místico e os seus elementos: fogo, a terra, a água e o ar.

SS – Foi com a Horda Abismo que você foi pra Bolívia? Em quais outros países vocês já se apresentaram?

SA – Abismo: Na verdade, acompanhamos a turnê da hora Mausoleum, pois o Felipe Mollo e Marta Blasfhemer, também são músicos fixos da horde. Durante a turnê, tocamos em diversos países da América Latina e Europa, dentre eles Bolivia, Portugal, Paraguai e Chile.

SS – Parcerias, como a que existe entre vocês e a Mausoleum, são comuns na cena underground?

SA – Abismo: Sim. Você conhece pessoas, culturas e ideologias, mas, mantem a essência, indiferente de lugares. Isso é o que fortalece a cena underground do metal, seja aqui ou no exterior. Temos uma amizade de mais de 20 anos, com o pessoal do Mausoleum. Somos irmãos no palco e fora dele. Somos a resistência.

SS – Qual sua percepção em relação aos festivais e shows comerciais de metal. E quanto a cena underground, você acha que poderia ter mais apoio e incentivos aos artistas?

SA – Abismo: Velho, sobre contratos (nós) não nos rendemos a isso, tocamos por prazer a arte negra do metal. Quanto a cena underground, os lugares estão cada vez mais escassos, por isso organizamos nossos próprios festivais, sejam no meio de uma casa abandonada ou em um lugar mais confortável. Se tiver espaço, estaremos lá celebrando a negra festa.

SS – Como um ritual?

SA – Abismo: Sim, sempre um ritual em forma de arte, a arte do metal. Uma celebração negra é o nosso sentimento. O desejo oculto de nossas almas, mas não algo material como muitos pensam. Nossos ritos e celebrações são transformados em arte, que cantamos ao subir nos palcos.

AL – Abismo: É uma coisa de veneração pela natureza. Somos muito influenciados pela cultura indígena do nosso país, mas, também pela culturas celtas ou druidas que fazem parte de toda construção musical da nossa horda.

WhatsApp Image 2020-04-05 at 11.28.38
ÁLBUM: ABISMO – ABISMO “PROFANO METAL PAGÃO” (2014)
Sobre o álbum: Gravado no inverno de 2014 por Kaos, arte da capa por Ariel Klaudio (Onslaughter Art e Design) e Layout por Necrovisceral.
Selos: Necrovisceral, Sphera Mortis e Círculo Fechado em Chamas.

SS – Vocês estão trabalhando no lançamento de um novo projeto. Existe algum previsão?

SA – Abismo: Ainda estamos conversando sobre isso e avaliando os formatos, que podem ser CD e LP.

SS – E nas mídias digitais?

SA – Abismo: O formato antigo pra nós é mais prazeroso, manter a imortalidade, dos vinis, e dos K7s e assim segue. Você pode ler um livro pelo celular, mas, poder pegar remete a outras experiências…tocar o papel, sentir o cheiro, tudo isso é mais prazeroso.

SS – Sabemos que vocês são meio avessos a entrevistas. Por isso, agradecemos muito a disponibilidade para conversar e compartilhar a cultura de vocês com os nossos leitores. Logo, fique à vontade para mandar recados, deixar contatos e divulgar a agenda de celebrações da Horda Abismo.

SA – Abismo: O recado que vou deixar é para aqueles que já conhecem, estão conhecendo: OBRIGADO PELO APOIO, FORÇA E HONRA, ATÉ A MORTE, HAIL …

Deixe sua resposta aqui