MAGAZINE LUIZA INCOMODA RACISTAS APÓS DIVULGAR SEU PROGRAMA PARA TRAINEÉ 2021

Na última sexta-feira, 18 a empresa anunciou seu novo programa para traineé para o próximo ano e surpreendeu divulgando que só irá aceitar candidatos pretos

Luiza Helena Trajano – Foto: Forbes / Reprodução

Automaticamente houve grandes reações a notícia divulgada pela empresa da visionária Luiza Helena Trajano, empresária de 68 anos, natural da cidade de Franca, interior do estado de São Paulo que segundo estimativa da Revista Forbes possui uma fortuna avaliada em U$ 4,9 bilhões.

De acordo com matéria divulgada pelo Portal G1, após o anúncio da empresa na última semana, várias instituições, intelectuais e movimentos ligados à questão racial elogiaram a iniciativa da empresa.

Segundo a empresa o objetivo é trazer mais diversidade racial aos cargos de chefia da empresa, dando um equilíbrio maior, visto que no mercado de trabalho em geral os cargos de nível superior em sua maioria não são ocupados por pretos.

Veja o que especialista sobre questões raciais disse a Globo News sobre o assunto: clique aqui.

A escritora Djamila Ribeiro publicou em seu perfil do Instagram o seguinte:

“Deixem de preguiça cognitiva. Ninguém é obrigado a saber, mas tem obrigação de buscar saber se pretende falar sobre. Para pessoas privilegiadas, a ignorância não é uma benção, a ignorância é desculpa para a manutenção do status quo. Como já disse Jurema Werneck, ‘a era da inocência já acabou, já foi tarde”.

O Movimento AR, publicou uma nota sobre o assunto nesta segunda-feira, 21 comentando sobre:

“A fantástica e transformadora ação da Magalu ao criar um grupo de trainees contemplando especialmente jovens negros, capitaneada pela visionária Luiza Helena Trajano, é uma manifestação de coragem e compromisso com o alcance da igualdade racial”, afirma o comunicado.

Agora, adivinhem quem se incomodou com a iniciativa da empresa Magalu?

Neste sábado, (19), o deputado federal e vice-líder do governo na Câmara, Carlos Jordy (PSL-RJ), acusou o programa de trainee do Magazine Luiza de “crime de racismo” e disse que acionaria o Ministério Público.

A empresa já se posicionou dizendo que está muito tranquila quanto suas convicções e com um post no Twitter escreveram assim:

“Estamos absolutamente tranquilos quanto à legalidade do nosso Programa de Trainees 2021. Inclusive, ações afirmativas e de inclusão no mercado profissional, de pessoas discriminadas há gerações, fazem parte de uma nota técnica de 2018 do Ministério Público do Trabalho”.

Deixe sua resposta aqui