#FORABOLSONARO DE CAROL SOLBERG RENDE DENÚNCIA ABSURDA NO STJD


A jogadora de vôlei de praia Carol Solberg, após declarar #ForaBolsonaro em entrevista após uma partida foi denunciada pelo STJD em dois artigos mas será defendida pelo presidente da OAB


Carolina Salgado Collett Solberg, nascida em 06 de agosto de 1987, na cidade do Rio de Janeiro, filha da jogadora de vôlei Isabel Salgado. Já acumula várias medalhas em sua carreira, desde o infanto juvenil até agora.

De acordo com o site Brasil 247, o colunista do UOL Juca Kfouri disse que o presidente da OAB Felipe Santa Cruz foi procurado pela mãe de Carol, Isabel Salgado que fez o convite para que ele represente sua filha no STJD, segundo o jornalista Juca Kfouri, Santa Cruz ficou honrado com a escolha.

Carol Solberg foi denunciada pela procuradoria do STJD por supostamente descumprir o regulamento da competição e assumir conduta contrária à disciplina desportiva ao protestar contra o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ao conquistar a medalha de bronze pelo Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia, etapa de Saquarema, Rio de Janeiro.

“O STJD está dando um tiro no pé. Não percebe que diante do que está acontecendo na NBA, e no próprio COI disposto a rever suas posturas mais draconianas, o caso de Carol Solberg pode atingir proporções internacionais”, alerta o jornalista Juca Kfouri. 

O jogador de basquete profissional norte americano Lebron James, entra em todas as partidas de seu time Los Angeles Lakers vestindo uma camisa com a palavra “VOTE” incentivando a comunidade negra a participar das eleições presidenciais para derrotar o republicano Donald Trump, visto que King James está em apoio ao candidato Joe Biden, democrata.

Lebron também se posicionou a favor do movimento #BlackLivesMatter que cresceu após a morte de George Floyd e de outros casos de abuso policial contra negros americanos.

Outro exemplo é o jogador de futebol americano Colin Kaepernick do San Francisco 49ers que protestou durante hino nacional norte americano se ajoelhando.

Em um jogo de pré-temporada em 2016, o jogador abaixou-se durante o hino nacional e se recusou a cantá-lo. Ele também usou meias que tinham imagens de policiais caracterizados como porcos durante os jogos.

Com essa atitude Kaepernick começou a inspirar outros jogadores, que também se ajoelhavam durante o hino. Mesmo em outras ligas, como na NBA, Stephen Curry e Carmelo Anthony, que repetiram o gesto e até mesmo Barack Obama.

Portanto, é necessário que a postura de Carol seja defendida por nós, visto que como cidadãos temos nosso direito de nos pronunciarmos a favor ou contra o que nos incomoda. Não percebemos nenhum tipo de perseguição quando atletas como Wallace (vôlei) e Felipe Mello (futebol) declararam apoio ao então candidato Jair Bolsonaro.

Categorias:ESPORTE, POLÍTICA

Marcado como:,

Deixe sua resposta aqui