“DIVA”, ESCULTURA DE VULVA GIGANTE VIRALIZA GUERRA CULTURAL BRASILEIRA

Instalação criada pela artista plástica pernambucana Juliana Notari, viraliza e causa polêmica nas redes sociais

Chamada de “Diva”, a escultura de uma vagina gigante esculpida pela artista plástica pernambucana Juliana Notari tem alimentado uma guerra cultural entre esquerdistas e conservadores no país, incluindo aliados próximos do presidente Jair Bolsonaro.

Ao apresentar a instalação na semana passada, Notari disse se tratar de uma Land arte, uma enorme escavação em “em formato de vulva/ferida”, com a qual questiona a relação entre natureza e cultura em uma “sociedade ocidental falocêntrica e antropocêntrica”.

Localizada no parque artístico botânico Usina de Arte, em uma antiga usina de açúcar que foi transformada em um museu a céu aberto no município de Água Preta em Pernambuco, a escultura de concreto e resina de 33 metros tem causado polêmicas e dividido opiniões um debate acalorado nas redes sociais, com milhares de pessoas comentando a postagem de Notari no Instagram e Facebook.

“Com todo o respeito, não gostei. Imagine eu caminhando com minhas filhas neste parque e elas perguntando … Papai, o que é isso? O que vou responder?”, escreveu um usuário.

Em resposta, uma mulher escreveu: “Com todo o respeito, você pode ensinar suas filhas a não ter vergonha da sua própria genitália.”

Guru político de Bolsonaro, Olavo de Carvalho criticou no Twitter o trabalho de Juliana Notari -aparentemente propondo uma escultura de pênis gigante como forma de desafiá-lo. Seus comentários atraíram quase 700 retuítes, muitos deles carregados de críticas contra o pessoal de esquerda.

Em “Diva”, utilizo a arte para dialogar com questões que remetem a problematização de gênero a partir de uma perspectiva feminina aliada a uma cosmovisão que questiona a relação entre natureza e cultura na nossa sociedade ocidental falocêntrica e antropocêntrica. Atualmente essas questões têm se tornado cada vez mais urgentes, escreveu a artista em seu perfil no Instagram, acompanhada por uma série de fotos da enorme escultura vermelha brilhante, que uma equipe de 20 artesãos levou 11 meses para fazer.

Artista, doutoranda e mestre em Artes Visuais, Juliana Notari participou de exposições nacionais e internacionais, recebeu prêmios, realizou residências artísticas e possui trabalhos em coleções públicas e privadas. Desde 2003, tem feito da anatomia feminina a base do seu trabalho, não sendo esta a primeira polêmica em torno da sua arte e do uso da vagina como tema de suas obras. Em 2006, a artista apresentou a performance intitulada “Dra. Diva, em São Paulo e na França, na qual abria fendas na parede banhadas com sangue de boi.

Em 2009, uma intervenção urbana com fotografias da obra ocupou as paredes de espaços públicos em em Berlim, Veneza, Amsterdã e França.

Com informações Reuters e Juliana Notari.com

Faça parte do nosso time de apoiadores, assim nos ajudará a produzir novos conteúdos. Somos uma mídia independente que ama o que faz! Acesse nossa campanha no Apoia.se e contribua conosco! Se preferir fazer uma doação espontânea: Sala Secreta 3S – Banco do Brasil (001) | agência: 6966-3 | conta corrente: 21.127-3 | CNPJ: 36.126.051/0001-01.

Nossos parceiros e apoiadores terão descontos especiais em todos os produtos da 3SG Store e também em nossos serviços! Entre em contato conosco para mais informações.

Deixe sua resposta aqui