#DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA: UM ALERTA SOBRE O RACISMO ESTRUTURAL BRASILEIRO

Data da morte de Zumbi dos Palmares, um dos maiores líderes negros do Brasil, o Dia da Consciência Negra alerta sobre o racismo estrutural e à reflexão sobre a inserção do povo preto na sociedade brasileira

Marcada pelo Dia da Consciência Negra, o dia 20 de novembro não é só um reconhecimento e homenagem à luta de Zumbi dos Palmares, um dos maiores líderes negros do Brasil, e seus companheiros no quilombo. Mas, principalmente um momento de reflexão sobre a história, cultura e ancestralidade dos negros, que representam a maior parte da população brasileira.

Alagoano de nascença e natural de União dos Palmares, Zumbi- que significa duende na língua do povo Banto, de Angola – liderou o maior quilombo do país: O Quilombo dos Palmares.

Aos 7 anos, em 1670, ele foi capturado por soldados e entregue ao padre Antônio Melo, responsável por sua formação. Com o passar do tempo, Zumbi, batizado na Igreja Católica com o nome de Francisco, fugiu para o Quilombo dos Palmares onde impressiona os demais escravos fugidos de fazendas de engenho pela sua habilidade em lutas. Aos 20 anos, ele já tinha se tornado o maior estrategista militar e guerreiro, responsável pela derrota imposta pelos quilombolas na luta contra soldados fiéis ao império português.

Morto por bandeirantes, há 325 anos (1695), Zumbi foi um dos últimos líderes do Quilombo dos Palmares, personificando desde então, a luta do povo preto brasileiro.

O Dia da Consciência Negra, é uma data importante para refletir sobre as violências e desigualdades sociais que a população negra sofre até os dias de hoje, trazendo um alerta sobre o racismo estrutural e a posição dos negros em nossa sociedade. E como forma de ajudar a trazer mais conhecimento ao tema, selecionamos alguns livros/-ebooks que falam sobre a inserção do negro na sociedade brasileira e a importância de falar e solucionar questões que ainda precisam ser resolvidas, como: racismo, discriminação e desigualdade social. Confira:

Branquitude, Música Rap e Educação. Compreenda de uma vez o racismo no Brasil a partir da visão de rappers brancos
O autor, ativista e pesquisador negro, se aventura nesse território musical, expondo e analisando a tensão racial existente. A obra busca trazer reflexões sob diversos pontos de vistas. O que eles e elas pensam sobre relações raciais e racismo? A autodeclaração racial que fazem, condiz com seus olhares de como a sociedade os percebe racialmente? Quais suas visões sobre privilégio branco? Conclui discutindo o papel da educação racial na mudança de pensamentos e atitudes, educação pela abolição do racismo, como processo fomentador da alteridade, sociabilidade e respeito às diferenças.

Da favela para o mundo: Não importa de onde você vem, mas para onde você vai

DA FAVELA PARA O MUNDO
Não importa de onde você vem, mas sim para onde você vai. Com este mantra, o autor Edu Lyra desafia as estatísticas para fazer uma intervenção na vida de milhares de famílias que vivem na pobreza, em regiões carentes da periferia de São Paulo. A convicção inabalável de quem saiu de um barraco de chão batido faz com que Edu não enxergue nada como impossível e tampouco permita que o vitimismo dê as cartas. Ler esse livro é fazer uma viagem por todo espectro social através do ponto de vista de quem saiu do caos de uma favela e passou a se comunicar com o topo da sociedade do capital, construindo pontes em vez de muros.

Sejamos todos feministas

A autora Chimamanda Ngozi Adichie traz na sua obra a importância da questão de gênero e o alerta de que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente e mais justo. Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade.



Na minha pele por [Lázaro Ramos]

Na Minha Pele
Escrito pelo ator Lázaro Ramos, o livro compartilha episódios íntimos de sua vida e também suas dúvidas, descobertas e conquistas. Movido pelo desejo de viver num mundo em que a pluralidade cultural, racial, étnica e social seja vista como um valor positivo, e não uma ameaça, Lázaro divide com o leitor suas reflexões sobre temas como ações afirmativas, gênero, família, empoderamento, afetividade e discriminação.

Minha História
Michelle Obama se consolidou como uma das mulheres mais icônicas e cativantes de nosso tempo. Como primeira-dama dos Estados Unidos e a primeira afro-americana a ocupar essa posição, ela ajudou a criar a mais acolhedora e inclusiva Casa Branca da história.

O Catador de Sonhos: O empresário visionário que começou como catador de latinhas ensina tudo o que você precisa saber sob...

O CATADOR DE SONHOS
Geraldo Rufino já quebrou seis vezes e saiu de todas elas mais sábio – e mais rico. O homem que começou a vida como catador de lixo reciclável nunca perdeu o sucesso de vista, e hoje é presidente da JR Diesel, cujo faturamento é superior a 50 milhões de reais por ano. Empreendedor visionário, trabalhador incansável, otimista incorrigível, Geraldo Rufino ensina como transformar sua vida e seu negócio para nunca mais se sentir vencido.

Eu sei por que o pássaro canta na gaiola: Autobiografia de Maya Angelou

EU SEI PORQUE O PÁSSARO CANTA NA GAIOLA
O livro de Maya Angelou retrata o racismo, abuso e libertação da vida de Marguerite Ann Johnson. A garota negra, criada no sul por sua avó paterna, carregou consigo um enorme fardo que foi aliviado apenas pela literatura e por tudo aquilo que ela pôde lhe trazer: conforto através das palavras. Dessa forma, Maya, como era carinhosamente chamada, escreve para exibir sua voz e libertar-se das grades que foram colocadas em sua vida.

A favela venceu: de um povo heroico o brado retumbante

A FAVELA VENCEU
Se você acha que está tendo dificuldades na vida, precisa ler este livro. Com as lições que a favela nos dá dia após dia, reinventando-se, criando, fazendo muito com pouco e empreendendo com recursos escassos, Rick Chesther nos mostra como, a partir do zero, ou do “menos um”, é possível sair da inércia e vencer na vida. A favela venceu traz uma favela que inspira pela coragem, pela força de vontade, pela esperança, pela fé e pelo brilho no olhar.

No Limiar das Raças: Sílvio Romero (1870-1914)

Se o homem surgiu num único centro, qual a razão para as diferenças? O que explica e como se explica que seres da mesma espécie ao longo da história se diferenciam de tal modo que se torna impossível encontrar o ponto de partida deste surgimento? São respostas para estas e outras tantas perguntas sobre racismo que esta obra traz. Uma importante discussão em torno deste assunto.

Relações Étnico-Raciais e Diversidade Cultural

Trata-se de uma coletânea de artigos escritos por: Dulce Maria Pereira, Elaine dos Santos, Luciene Ribeiro da Silva e Regina Maria da Silva. As quatro professoras e pesquisadoras apresentam um pouco de seus estudos e pesquisas com referência às relaçõe étnico-raciais.






Relações Étnico-raciais Educação e Sociedade

John Carth acompanhou de perto as transformações sociais e educacionais, vendo e vivendo próximo aos dilemas sociais. Nesta obra ele reúne textos que abordam a problemática da educação e da forma da sociedade brasileira em seus conflitos de ética e racismo, trazendo reflexões para entender melhor sobre as necessidades da sociedade neste momento. 

O Debate Nacional do Preconceito e da Discriminação

O Debate Nacional do Preconceito e da Discriminação

Fundado em razões históricas, sociológicas e culturais, o preconceito é um fato na sociedade. Nesta obra, o autor apresenta uma ampla pesquisa sobre formas de materialização do preconceito e da discriminação, analisando dados estastíticos. E estuda a eficácia social dos objetivos fundamentais do Estado, elencados no artigo 3° da CRFB/1988, verificando se, de fato, é ou não eficaz socialmente, produzindo resultados e efeitos desejáveis.

Imagens: Freepik| Divulgação

Faça parte do nosso time de apoiadores, assim nos ajudará a produzir novos conteúdos. Somos uma mídia independente que ama o que faz! Acesse nossa campanha no Apoia.se e contribua conosco! Se preferir fazer uma doação espontânea: Sala Secreta 3S – Banco do Brasil (001) | agência: 6966-3 | conta corrente: 21.127-3 | CNPJ: 36.126.051/0001-01.

Nossos parceiros e apoiadores terão descontos especiais em todos os produtos da 3SG Store e também em nossos serviços! Entre em contato conosco para mais informações.

Deixe sua resposta aqui