AS MAIORES ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS DO MUNDO: MÁFIAS E FACÇÕES

Espalhadas pelo mundo, organizações criminosas promovem terror por onde se instalam, seja na vida real ou em grandes produções cinematográficas

Por toda a história da humanidade, sempre existiram conglomerados que se reuniram para praticas ilícitas, e hoje apresentamos algumas das mais relevantes organizações criminosas do planeta. Se você curte assistir filmes e séries policiais, provavelmente já se deparou com alguns desses nomes que iremos citar, mas longe de se tratar de um filme de ficção de Hollywood, máfias e gangues espalhadas pelo mundo provocam medo e terror por onde transitam. Lembrando que, não nos atentamos aos números e tampouco ao grau de importância de cada uma delas, já que a intenção é informar e, por que não?, provocar curiosidade.

Itália

Historicamente famosa pelo domínio do seu Império Romano e pela Igreja Católica, que tem no Vaticano um país independente que ainda exerce fortemente seu poderio, a Itália também conta com uma das mais temidas máfias do mundo. Tamanha influência, permite que a máfia italiana, também, seja comparada a esses adventos históricos, já que promoveu a nação por todo o planeta, da mesma forma que o fascismo de Benito Mussolini, durante o século 20.

Na Itália existem três grandes mafias: Camorra, Cosa Nostra e ‘Ndrangeheta (Máfia Calabresa). A Camorra foi a primeira Máfia Italiana a ser mundialmente conhecida, originária da cidade de Nápoles, por volta do século 17, bem como a Siciliana Cosa Nostra, começando suas atividades no séculos 19, expandindo seus domínios para o leste dos Estados Unidos e regiões da Austrália. Por fim, ‘Ndrangeheta que mesmo sendo a mais nova das três, atualmente, é considerada a mais articulada e poderosa da Itália, tendo conexões por todo o planeta.

México

Grandes cartéis criminosos, marcam a história do México no hall das principais organizações criminosas mundial. Dentre as mais renomadas, destaque para o Cartel de Sinaloa, chefiado pelo Mega Traficante, conhecido como “El Chapo”; Los Zetas, formado na década de 90 por dissidentes do exército mexicano; Barrio Aztecas, rivais do Cartel de Sinaloa e, por fim La Nuestra Família, que tem a maior parte dos membros dentro de prisões na Califórnia, nos Estados Unidos.

Estados Unidos

São dezenas de gangues, máfias e organizações criminosas presentes no território americano. Dentre as mais famosas estão os Crips, gangue de rua californiana criada na década de 70, que tem como arquirrivais os Bloods (Pyrus), grupo formado pela junção de gangues menores que se uniram para se proteger e contrapor o domínio da Crips.

Por sua vez, o Aryan Brotherhood ( ‘Irmandade Ariana”, em português), cujos integrantes possuem diversas tatuagens com símbolos nazistas, surgiu nas prisões norte-americanas constituindo uma grande rede de extorsões e mortes dentro do sistema prisional americano.

Considerada uma das mais violentas e sanguinárias gangues do mundo, a Mara Salvatrucha ou MS 13, foi criada nos Estados Unidos por nativos e descendentes de salvadorenhos que migraram para o país. Formada por volta dos anos 80, na cidade de Los Angeles, Califórnia, a organização conta com mais de 70 mil membros mundo afora, sendo 20 mil apenas em solo americano.

Mara Salvatrucha, gangue salvadorenha formada em solo americano, com conexões por todo o mundo. Imagem: Reprodução

Máfias pelo mundo

Quem nunca ouviu falar da Yakuza? Com dois séculos de existência, a renomada e discreta máfia japonesa conta com cerca de 103 mil membros, conhecidos como “Yamaguchi-Gumi”, espalhados pelo mundo. Ainda no território asiático, a chinesa Sun Yee On (14K a Tríade) é considera uma das mais estruturadas organizações criminosas, tendo iniciado suas atividades na década de 40.

Formada por ex-membros da KGB, polícia de inteligência secreta da União Soviética, a Máfia Russa ou Bratva ( A Irmandade”, em russo) movimentam mundialmente cerca de 8,5 bilhões de dólares, por meio de um corpo de liderança formado por 12 membros, que se reúnem em várias partes do mundo para discutir as ações do grupo .

Já na Sérvia, a máfia reúne grandes grupos organizados que possuem ramificações por toda Europa. Dentre as principais contravenções praticadas pelo Crime Organizado Sérvio, estão o tráfico de armas e drogas e contrabando.

No Quênia, os Mungiki, grupo criminoso que também é tido como uma seita – formada pelo maior grupo étnico do país, os  Kikuyu-, são responsáveis por atentados terroristas, extorsões e afiliações políticas em todo território. No entanto, não há muitas informações disponíveis sobre a organização, pois além de atuarem como uma sociedade secreta, suas atividades contam com uma forte cobertura política. Banidos do Quênia em 2002, o grupo costuma degolar seus inimigos e circuncidar as mulheres.

Brasil e América Latina

No Brasil, existem

Duas grandes facções criminosas disputam o poder não só no Brasil mas, também, em alguns países latinos: Primeiro Comando da Capital (P.C.C) e Comando Vermelho ( C.V), sendo liderados respectivamente por Marcos Willians Herbas Camacho, o “Marcola” e Luiz Fernando da Costa, “Fernadinho Beira-mar”. Criado dentro das cadeias de São Paulo, no início da década de 90, o PCC surgiu com o intuito de organizar e representar os direitos dos presos dentro do sistema prisional, expandindo sua atuação por todo o território nacional, dentro e fora das prisões. Já o Comando Vermelho ou Falange Vermelha, deu início as suas atividades na década de 70, durante a Ditadura Militar, na qual presos políticos e criminosos se uniram para trocar conhecimentos.

Reprodução – Pablo Escobar (01/12/1949 a 02/12/1993)

Por fim, chegamos a Colômbia, mundialmente conhecida pelo poder e influência dos seus cartéis de narco-tráfico, especialmente na década de 80. Na época, a forte ascensão do Cartel de Medelin, fez com que o seu líder Pablo Escobar se tornasse o traficante de drogas mais procurado do mundo pelas forças americanas, para os mais jovens, a caçada a Escobar estava para os americanos como Osama Bin Laden ou o próprio El Chapo.

Arquirrivais do Cartel de Medelin, ativo de 1972 a 1993, o Cartel de Cali chefiados pelos irmãos Gilberto e Miguel Rodríguez Orejuela, financiaram a captura e morte de Pablo Escobar. Após a morte do narco-traficante, os irmãos Gilberto e Miguel comandaram 80% das transações de drogas na Colômbia, mantendo suas atividades de 1977 a 1998. Durante o período em que estavam ativos, foram alvos de ataques das Forças Armadas Revolucionárias Colombiana( Farc), grupo guerrilheiro de extrema esquerda que operava mediante táticas de guerrilhas e lutavam para a implementação do regime socialista na Colômbia.

Deixe sua resposta aqui