#1MAIO: DIA DO TRABALHO, CELEBRAÇÃO VIRTUAL

As principais centrais sindicais brasileiras se uniram para celebrar o Dia do Trabalhador e da Trabalhadora. Por conta da pandemia do coronavírus, pela primeira vez, a confraternização será virtual

Comemorado em diversos países nesta sexta-feira 1º de Maio, o Dia do Trabalho ou Dia do Trabalhador foi criado em homenagem a luta de trabalhadores americanos, que em 1889, se uniram para reivindicar redução na exaustiva jornada de trabalho. No Brasil, o marco da luta trabalhista se deu apenas em 1925, com a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), pelo então presidente Getúlio Vargas, na qual garantia constitucionalmente os direitos básicos dos trabalhadores brasileiros.

“1º de Maio solidário: um novo mundo é possível”

Sob os ideais “Saúde, emprego e renda. Em defesa da Democracia. Um novo mundo é possível”, os trabalhadores brasileiros vão poder celebrar o 1º de Maio Solidário 2020 em casa, em total segurança para evitar o risco de contágio pelo COVID-19.

Batizado “1º de Maio solidário: um novo mundo é possível”, o evento está programado para começar às 11h30, com transmissão pelo Canal Rede TVT no YouTube ou na página de Facebook das centrais sindicais.

Pela primeira vez na história do movimento sindical, as atividades que tradicionalmente marcam o Dia do Trabalhador serão realizadas somente na internet. Não haverá rua, mas terá live com duração programada de 4 horas, com apresentações artísticas e mensagens dos representantes da classe trabalhadora e das instituições democráticas.

Na confraternização solidária, a luta pela democracia e pelo #ForaBolsonaro, contará com entrevistas e intervenções artísticas para celebrar a luta dos trabalhadores, que incluem no campo político os ex-presidentes da República, Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso. Artistas de diferentes estilos se apresentarão durante a live do 1º de Maio Solidário. Entre eles Chico César, Zélia Duncan, Otto, Preta Ferreira, Dexter, Delacruz, Odair José, Leci Brandão, Aíla, Preta Rara, Mistura Popular, Taciana Barros, Francis Hime e Olivia Hime, entre outros.

No encontro, manifestações contra medidas do governo federal consideradas violações aos direitos dos trabalhadores, dentre elas a MP 936, que permitiu a redução de salário e jornada durante a pandemia; e a oposição a conduta de Jair Bolsonaro (sem partido) na condução do país nesta crise de saúde pública, são algumas das pautas debatidas pelas centrais sindicais durante o evento, destacou o portal de notícias UOL.

Para acompanhar a transmissão, acesse Canal Rede TVT no YouTube ou na página de Facebook das centrais sindicais

A imagem pode conter: texto
Reprodução Facebook CUT Brasil

Fonte: Divulgação Sindicato Metalúrgicos

Deixe sua resposta aqui